Corrida Histórias de quem corre Relatos de Provas

Mundial Ironman 70.3 de Las Vegas. Sonho realizado.

Mundial Ironman 70.3 de Las Vegas. Sonho realizado, continuando “Saí da transição arrasada, mas sabia que teria que me manter calma para não estragar a prova! Tinha q resolver outro problema: o que eu iria comer!

Havia chegado a hora! Me despedi da minha família e fui para a largada! Éramos mais de 100 na categoria. Eu estava muito nervosa, mas dentre tantos imprevistos uma notícia boa: meu garmin havia voltado a funcionar! Não pudemos aquecer e fomos direto para onde seria a largada!

“1min” – ele anunciou!! Coração na boca!! “30segundos!!!!” Aiii meu Deus – os 30 segundos mais longos da vida!!! Dedo no Garmin e PANNNNNN – a buzina soou!! Começamos a nadar e a porrada logo começou e durou por um longo tempo. Foi qndo alguém me deu um chute forte no braço direito! O braço pegou… incomodava na puxada, mas logo pensei: “não vou mais precisar do braço” então não diminui e fui com esse incomodo até o final da natação!

Na virada, segui a menina da minha frente e quando vi estávamos longe da bóia que fazia uma barriga! Essa hora fiquei chateada e só pensava: JUUUUU?????? O q vc fez??? Sabia q não deveria seguir ninguém!!!!! O q fazer agora??? Continuo aqui ou volto pra perto da bóia???” Continuei longe e o problema é que não tinha nenhum ponto de referência e sentia que estava nadando torto! Fui ficando cada vez mais nervosa e puta comigo, sabia que precisava me acalmar, mas estava muito brava! E aí fiz uma coisa que nunca faço: levantei o garmin e olhei o tempo… Precisava saber qual era o estrago!!! Pronto – senti um certo alívio: Teria q acelerar para conseguir fazer no tempo programado, mas iria dar!! Que alívio, a concentração voltou e acelerei, mas aí a virilha fisgou!!!! Essa dor me acompanhou até o final da prova e foi a responsável por eu não andar dp! Hehe!

Saí da água com a ajuda do STAFF, pois era uma rampinha escorregadia. Olhei o garmin e ufa: dentro do tempo previsto!!! Sabia q poderia ter feito mto menos, mas não poderia perder tempo pensando naquilo!!

Corri pela área de transição e meu pé afundava na lama, escorreguei 2 vezes e aí achei melhor diminuir o ritmo para não cair… Ainda chovia bastante e enquanto corria, pensava: “coloco ou não os óculos?” Quando chove, os óculos atrapalham, mas lá tinha bastante descida e fazer sem, seria ruim também! Arrisquei e fui sem!! O percurso era longo, me faltava ar e, pra matar de vez, no final da T1, havia uma bela subida até chegar na linha q separa a T1 do percurso da Bike!! Putz…A prova era dura até na transição, senti o drama na pele e eu sabia: “o dia seria longo!!!!”.

Enquanto subia empurrando a bike e tentando recuperar o folego, vi minha mãe e meu padrasto: “Vai Juuuuuuu!!!!” – eles berravam! Não consegui nem responder… Subi na bike e o cara da frente derrubou a sapatilha quase causando um acidente! Consegui desviar e fui! Não deu tempo nem de se recuperar da natação e a subidona já começou!

As pistas estavam mto molhadas e a prova estava perigosa!!! Tínhamos q tomar cuidado no começo com as descidas e aí não dava pra correr atrás do tempo perdido com as subidas!!

Logo no início, vi que havia feito a escolha certa! Muitos óculos jogados pela estrada… com certeza ngm estava enxergando nada!!

Primeira hora de prova e deixei cair as capsulas de sal e bcaa, pois eu havia virado o saquinho pra baixo para as capsulas não molharem! Ali, eu sabia q iria sofrer!!! Lembrei do treinador de novo: “JU, esta prova é 70% nutrição!!!” Droga! tinha derrubado os 70% da minha prova! Que erro mirim!!!! Primeira perna – 45km de subida, subida e mais subida! Era desesperador!!! E aí minhas costas sofreram, parecia q eu carregava um piano!! Ignorei a dor!

A minha preocupação era outra: muita gente furando, parada ali no meio do nada, literalmente no meio do deserto e eu corria o risco de ser a próxima…então, continuei rezando para meu pneu não estar esvaziando!

A paisagem era espetacular, mas curtir era impossível em meio a tanto esforço!

O pedal foi sofrido o que me abalou um pouco, porque normalmente é o esporte que eu vou melhor! Para piorar, às 10hs começou a sair um sol de rachar! No km 70, qndo o percurso ficou mais plano, o vento apareceu (esta é uma das desvantagens de ser a última a largar – qnto mais tarde, maior o vento e a temperatura)! Qndo o vento parou, as pernas já não respondiam tanto! Senti a brutal diferença para o meio Ironman de Penha que fiz o percurso da bike sorrindo!!!

Os últimos kms: mais subidas!!!! Quero dizer, uma única subida constante!!! Affff, sairia pra correr com pernas de pedra!!! Bateu 90km e nada da placa!!! Putz!! Ainda tinha essa: o percurso estava maior (1,5km a mais)! Desci da bike com muita dificuldade e já gritei meu número: “2040!!!! 2040!!!” E em segundos, minha sacola de corrida estava na minha mão! Aliás, organização impecável!! Sentei na tenda para colocar o tênis e ahhhhhh q vontade de não levantar nunca mais!!!!! Kkkkk!

Saí pra correr tensa, preocupada com a canela, mas até então: “so far, so good!” Km 1 fechei para um pace bem melhor que o esperado e logo pensei: “to bem!!!! Uhuuuu!!! Vai encaixar, é só não forçar!!!” Sabia q o começo seria mais difícil pq a perna estava pesada da bike, então segurei!! Mas logo no km 1,8 senti uma fisgada na coxa direita…Outch!!! Cada pisada era uma facada! Enquanto corria, tentava massagear a perna perto do joelho e nada da dor passar!!! Km3 e os dois tendões de Aquiles gritaram (eu já estava machucada)!!! Mas, perto da dor na coxa que era de chorar e não dava trégua, esta dor não era nada! ignorei! Km 5 e a outra coxa fisgou! Efeito de não ter tomado o BCAA: pernas totalmente fadigadas!

Não tinha mais o que fazer, sabia que teria que correr com dor!!! Afinal, não existiam as opções: parar, andar ou desistir! Já tinha corrido 5km com dor e ainda faltavam 16!! DEZESSEISSS!!!! E pra piorar ainda tinha a dor da virilha q não me largou desde a natação!!! Então, pensei: “Calma Ju, vc ainda tem cabeça!!!” Lembrei de todas as minhas amigas que treinam comigo e das msgs q elas me mandaram antes da prova: “Ju, vc é samurai! Vc é kamikaze!!, vc tem um psicológico de aço, inabalável… nunca vi ninguém com tanta cabeça que nem você!! Vc é meu orgulho! Aposto todas as fichas em vc: ALL IN!!!” Então, nao poderia decepcioná-las agora… respirei fundo e lá fui eu: “1,2; 1,2; 1,2” eu repetia num ritmo cantado acompanhando minhas passadas: “Não diminui, não diminui!!!”. Lembrei tb do meu treinador: “Ju, esta prova é mais cabeça do que perna!!!!” E eu falava: “cabeça, Ju! cabeça!!! Power of the mind over the body!!! Vamos!!!” E enganava meu corpo fingindo que estava bem!! Como? Vibrava com a torcida, acenava, batia palma, gritava: uhuuuuu!!! Fazia sinal de que estava bem, feliz!!! E, mesmo com dor, eu realmente curti cada minuto! Percebendo que eu retribuía o carinho, todos na torcida a cada volta gritavam: “Heyyyy, we know you!!! It’s Julianaaaaa… Heyyy, we like you!!!” “Gooooo brazil!!!!” “keep going”! Tinha muita criança como voluntária e era demais receber um apoio desses anjinhos: “Stay Strong!! You are already a Champion!!” kkkk… demais!! Enfim, costumo ir super concentrada em todas as provas, mas ali era diferente! Estava no meu limite muscular e não poderia forçar muito mais, porque senão iria quebrar bonito, tinha que ter cabeça e manter o pace até o final!! E as duas primeiras voltas foram assim….14km, sendo 7km só de subida!! Se eu pudesse manter este ritmo faria em menos de 2hs que era melhor do que eu esperava fazer com as pernas boas!! rs!!

Quase 1 da tarde, o sol estava no auge, faltavam 7km, mas o meu cansaço já era mais visível…Esta hora a prova começa ficar deprê (mais uma desvantagem de largar por último). Quem largou mais cedo, já terminou e quem não terminou ainda é porque quebrou!! Muita gente andando, chorando, parando de correr na sua frente…a torcida já não estava mais lá e eu tb não conseguia nem mais agradecer quem ainda estava por lá… levantava a mão timidamente e fazia um jóia para agradecer!!! Mas ainda tinham os para atletas e isto dava mta força para continuar! Admiro demais essas atletas! Um exemplo para qualquer pessoa!

Fui para a terceira e última volta, mas no km 17 a dor nas pernas era imensa!!!! Não consigo nem explicar! Mas eu continuava concentrada nos meus pensamentos de que eu conseguiria! E assim fui durante os inacabáveis quilômetros de subida: Devagar e sempre! Aqui, confesso que senti medo de não conseguir!! E, não foi pouco não! Foram os 3km mais sofridos que já fiz!! Mas nossa cabeça faz milagres e está aí a prova disso!! No último km tirei forças de onde não tinha e acelerei!!!

Foi então que o Garmin apitou: 21km!!! AHHHHHHH MEU DEUS!!!!!!!! Eu conseguiiiii!!!!!!!!!!!!!! Eu conseguiiiii!!!!! Corri 21km sem perna, com dor, exausta, no deserto, com um calor dos infernos e sem diminuir o ritmo!!!!!!! Eu consegui!!!!! Cumpri minha estratégia!!!! que emoção!!!!! menos de 100m pra cruzar a linha de chegada e olhei o tempo total: 5:53hs (7min a menos do tempo que imaginei fazer…meu Sub 6 nesta prova conhecida por ter tantas dificuldades)!!!!!!!!!!!!! Meus olhos encheram de lágrimas…. Um soluço preso na garganta… Dor, orgulho, emoção, alívio, felicidade, alegria, cansaço, exaustão, garra, determinação, superação, limites…. Explodi!!!! Cruzei a linha de chegada segurando a bandeira do Brasil e chorei!!! Chorei mto! Por tudo que eu passei até chegar ali, por estar num mundial, entre os “melhores” do mundo, por ter completado meu sonho… Um sonho vivido com mto amor, carinho e dedicação!!!! Que emoção!!! Desejo que vcs um dia sintam tudo o que eu senti, pq isto é inexplicável!!!!!!

Terminei a prova muito feliz e orgulhosa de como superei todos os problemas, todos os limites e como mantive a cabeça firme nas horas que mais precisei!

Deixei Vegas com a melhor sensação do mundo: a de dever cumprido!!! No mundial, o nível é completamente diferente do que estamos acostumados e, por isso, ali eu era a minha única adversária e essa competição “eu venci!!!”.

Beijos,

Ju

Orgulho de vc Juju.

A primeira parte deste post está aqui.

Vai correr uma meia maratona aqui tem um guia completo incluindo duas planilhas para você concluir o seu sonho com muita garra, compre por apenas 10 reais.

Para ler mais dicas de Triathlon, desta vez para iniciantes clique aquiaqui


Comments

comments

2 Comments

  1. Nossa que lindo ;D na boa quase chorei ao ler essa segunda parte. Poxa vida! Parecia que tudo era uma aprovação no dia dessa corrida. Se fosse eu olharia pro céu e diria: já pode parar camarada! Por hj já deu. Parabéns pra ela, parabéns por essa ultra força de vontade e por esse desejo incontrolável de vencer os obstáculos e com certeza ela pode se chamar de mulher maravilha, pq nossa foi uma luta concluir essa prova mas no fim valeu. Parabéns, sucesso e boas provas Ana e Juliana e que venham novos desafios.

    Reply

Post Comment

Translate »

Ao continuar no site, você está aceitando o uso de cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close