Diário de uma Maratona Motivação

O diário da Maratona e a paixão pela corrida de rua.

O diário da Maratona e a paixão pela corrida de rua. Acho que todo mundo aqui sabe que eu tive a sorte (tá não adianta reclamar dessa coisa de lesão, pode acontecer com todo mundo, mesmo fazendo tudo direitinho quando os km começam a aumentar todo mundo pode ser alvo). Então esta semana como eu estou proibida de correr eu pensei muito: Sobre o que eu vou escrever no diário?

O post anterior do diário da maratona está aqui.

Quem me conhece há anos sabe que eu tenho uma dificuldade de contar o que eu estou sentindo e que às vezes eu deixo passar (especialmente quando não é uma coisa positiva) porque eu sempre penso: “Poxa todo mundo tem seus problemas e eu vou ficar enchendo o saco com os meus?” Mas esses dias vendo que tanta gente me pergunta e quer notícias de como eu estou no Insta eu resolvi me abrir aqui.

A verdade é que se machucar depois de ter tentado fazer tudo certinho, de ter corrido no escuro, na neve, de ter sofrido horrores no inverno, sim porque as fotos na neve ficaram lindas, mas acordar as 5:45 para correr no escuro e num frio de -10 graus  com 3 camadas de roupa não foi fácil e agora que está fazendo um tempo bom, mais de 10 graus positivo eu estou de molho sem poder correr não é fácil também.

A grande vantagem de ter entrado para o mundo do triathlon é que mesmo parada nas corridas eu não estou perdendo o meu condicionamento físico, pois eu ainda posso andar de bike, nadar e fazer aqua jogging, porém aquela sensação de liberdade da corrida, de sentir as pisadas no chão, de me “perder” numa floresta ou parque escutando o som das minhas passadas, de suar, de sentir o corpo cansado e pensar “bora Ana está acabando”, vendo as folhas nas arvores aparecendo, com a primavera chegando e os passarinhos cantando alegremente pois finalmente o sol apareceu não tem comparação com a sensação que sinto com nenhum outro esporte, definitivamente a corrida é minha paixão.

Paixão, não amor pois há nos conhecemos e temos uma relação há quase 4 anos e hoje duas semanas e meia depois do joelho nos ter separado (lembra que eu dei uma corri semana passada achando que o joelho já estava bom?) eu tenho percebido o quando eu amo correr, o quanto eu sinto falta da dor e da alegria que a corrida me dá, da delícia que é dividir com vocês cada treino, cada descoberta e de me sentir livre correndo por aí.

A verdade é que nestas quase duas semanas  sem correr, e apesar de ter caído junto com umas viagens que tínhamos programado em Novembro do ano passado (eu sempre sonhei em conhecer a Croácia, tem várias fotos no www.Instagram/corracomigo e neste post), nenhum azul lindo de mar ou céu conseguia manter a minha atenção quando alguém passava correndo na minha frente.

Eu corri mentalmente junto com todo mundo que cruzou o meu caminho nestes dias, seja na praia, na rua, numa foto, num video, eu me senti como o Brian do Game of Thrones querendo me transportar para o corpo de outra pessoa como ele faz com o lobo na série, e eu entendo o que ele sente, mesmo ainda podendo estar de pé e praticar outros esportes, a corrida se tornou essencial na minha vida, e eu tenho sofrido, sofrido muito de abstinência.

A verdade é que hoje mesmo nas vésperas da maratona que eu tanto desejei e trabalhei meses para participar, aquela medalha que eu sonhei e sonho em sentir pendurada no meu pescoço perdeu um pouco da importância quando a possibilidade de não conseguir mais correr bateu a minha porta, definitivamente  fazer tudo o que o físico mandou como tirar a pausa necessária da corrida (como dar um tempo do namoro), fazer novos exercícios de fortalecendo/alongamento e rever os que eu tenho feito (para encontrar uma forma melhor de continuar) está sendo como aquele momento em que você tem que cuidar de uma relação e encontrar a melhor forma de continuar junto.

E na maratona vai ser assim, eu ainda não desisti desta e só vou desistir se a dor for insuportável no dia, mas não pela dor, e sim pela possibilidade de ter que me separar para sempre ou por muitos meses de algo que eu amo tanto, por mais que eu queria aquela medalha, existem várias outras no futuro que eu posso tentar, hoje a minha prioridade é cuidar da lesão e continuar… afinal com o amor é sempre assim: Quem ama cuida.

Sim, dia 18 eu vou com tudo e tenho fé que o meu joelho vai me surpreender. Obrigada pelo apoio, e torcida de todos, a cada comentário que eu leio sinto mais uma chama se acendendo, sei que estamos juntos neste amor e nesta paixão.

O post seguinte do diário está aqui 

Beijão Ana

diário da maratona

diário da maratona


Comments

comments

3 Comments

  1. Ana , eu sei que é difícil, mas a cabeça comanda e nesse momento, além de manter se condicionamento físico, você precisa manter o condicionamento mental e emocional.

    Respira, inspira, expira e muito em breve você vai postar mais uma medalha pra gente,

    Enquanto jsso, continua fazendo tudo certinho.

    Fica bem querida.

    Bjo grande

    Reply

Post Comment

Translate »

Ao continuar no site, você está aceitando o uso de cookies. more information

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close